O segundo show: flamenco.

Olé paella vegana! Olé!

Fazendo a nossa busca por opções veganas em Porto Alegre, a gente recebeu a dica de que o Tablado Andaluz servia uma paella vegetariana. Já havíamos visitado o tablado há muitos anos, quando ele ainda funcionava na Avenida Oswaldo Aranha, mas não tínhamos recordação da tal paella. Muito interessados resolvemos ligar para o local pra ver se eles conseguiriam fazer uma versão vegana desse prato. Para a nossa surpresa, após explicarmos o que era vegano, descobrimos que a paella vegetariana é, na verdade, uma paella vegana. Sem titubear reservamos os nossos lugares para aquela mesma noite.

Para os que não conhecem, o Tablado Andaluz é um local que traz ao público a cultura do flamenco. De acordo com o site do tablado: “Os “Tablaos” como ficaram conhecidos, eram bares descendentes dos Cafés Cantantes que existiam no inicio do seculo passado por toda Europa e foram importantes no surgimento do flamenco e na consolidação de sua classe artística. As noites nos “Tablaos” eram a fusão perfeita entre arte flamenca, gastronomia e boemia. O Tablado Andaluz de Porto Alegre é único “Tablao” no Brasil.”. Está situado na Avenida Venâncio Aires, 556.

Para podermos aproveitar bastante o local chegamos cedo, ainda que fosse uma noite com tempo ruim. Logo que entramos fomos recepcionados pelos atendentes do local que nos levaram até a nossa mesa. A menina que nos atendia explicou como funcionava o sistema da casa: entrada, buffet de saladas e paella. Explicamos novamente a questão do veganismo para ela e ela garantiu que a paella era vegana. Apenas nos disse para não comer a tortilla que vinha com a entrada, pois continha ovos.

O clima do tablado.
O clima do tablado.

Como chegamos cedo, a comida ainda estava sendo preparada e o buffet de saladas montado. Pensamos: “Quando em Roma, faça como os romanos” e decidimos pedir uma jarra de sangria. Não demorou muito para que ela fosse trazida até a nossa mesa e que pudéssemos saboreá-la. Aproveitamos a típica bebida espanhola, que estava muito gostosa, mais seca do que doce como é da nossa preferência. Logo nos foi servido também a entrada, uma porção com azeitonas, caponata de berinjela, pimentão vermelho em conserva e pãezinhos. Estava tão gostosa que pedimos uma segunda leva!

A sangria e a entrada.
A sangria e a entrada.

Por volta das 21h00 as paellas e o buffet começaram a ser servidos. Como nós estávamos morrendo de fome, levantamos rapidamente e fomos nos servir. Havia várias opções de saladas, mas como estávamos lá para saborear a paella vegana, acabamos pulando as mais básicas e provando apenas as mais elaboradas, dentre essas fica o destaque para a salada de laranja com cebola. Um mistura estranha a primeira vista, mas deliciosa.

O buffet de saladas era bastante variado!
O buffet de saladas era bastante variado!

Por fim, nos servimos da tão aguardada paella. O aspecto não deixava nada a desejar para as outras paellas servidas ali. Ao invés dos frutos do mar ou das carnes, vegetais variados compunham os ingredientes, tais como ervilha, grão de bico, cenoura, pimentões, etc. A comida estava muito gostosa e bem preparada. Como não havia nenhum elemento que fosse do mar, a paella vegana era muito parecida com um risoto de vegetais com o arroz amarelo por causa do açafrão. Um truque muito comum nas adaptações veganas de pratos com frutos do mar é a utilização da alga nori (ou alguma outra), pois ela imprime no prato aquele “gostinho de mar”. Mas esse é um pequeno detalhe, adoramos a comida!

O primeiro show: paella vegana.
O primeiro show: paella vegana.

Para fechar com chave de ouro, após o jantar há uma apresentação de flamenco. Na noite em que fomos visitar a casa, havia duas bailaoras (bailarinas flamencas), um cantante/cajonista (cantor que tocava cajon) e um violonista. A qualidade dos músicos e das dançarinas é de cair o queixo, realmente uma experiência cultural riquíssima.

O segundo show: flamenco.
O segundo show: flamenco.

Bem, não é por acaso que funciona também no local uma escola de dança flamenca. Caso você se interesse, é só entrar no site para saber mais informações.

Nota: ****

Fica aí a dica do Veganista!
Quer sugerir um lugar pra gente visitar? Envie um e-mail para falecom@veganista.online 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *