Você sabe o que é “Soft Opening”?

Imagine que você vai abrir um novo negócio, realizou uma obra no imóvel onde ele funcionará, contratou funcionários, criou sua marca, vez esforços de comunicação, etc. Tudo isso gerou expectativa nas pessoas que poderão fazer parte do seu universo de consumidores, fazendo com que elas atendessem ao seu chamado e fossem conferir os serviços e produtos oferecidos pela sua empresa. No entanto, isso era mais do que a sua equipe podia atender naquele momento, não por falta de funcionários, equipamentos, estrutura ou mesmo competência, mas porque a operação de um novo negócio sempre requer tempo de maturação para atingir o nível que você idealizou no seu planejamento. E, no fim, o resultado dessa situação é que você não consegue atender seu cliente da forma que você e ele desejavam, gerando um problema de imagem já no início da sua trajetória.

Você talvez não tenha passado por isso como empresário, devido ao seu ramo de atuação, mas certamente já passou por algo parecido como cliente. Gerou expectativa de conhecer um lugar novo, que tinha um discurso legal e que prometia uma experiência bacana, no entanto você teve essa expectativa frustrada. Isso é muito comum em inaugurações, por isso foi criado o conceito de “soft opening”, muito comum fora do Brasil mas ainda pouco utilizado aqui.

Divulgação de abertura em soft opening de uma loja de revistas em quadrinhos.
Divulgação de abertura em soft opening de uma loja de roupas.

Segundo uma matéria da Folha de São Paulo: “Para evitar situações como essas, mais empresários têm usado o conceito de ‘soft opening’. A ideia é que, antes da abertura oficial do estabelecimento, a casa reduza os preços do cardápio para compensar o cliente por eventuais erros ou, então, comece a funcionar apenas para convidados.

Dessa forma podem ser testados quesitos como serviço, fornecedores e até disposição das mesas no ambiente. Como nos ensaios que precedem o início das grandes temporadas de dança ou teatro, o ‘soft opening’ é a chance de corrigir erros e afinar tudo antes de receber o público.

Essa ‘abertura suave’ é uma prática antiga nos Estados Unidos, onde até cassinos costumam funcionar em fase de testes antes da inauguração oficial. No Brasil, a estratégia vem sendo adotada principalmente em restaurantes e bares”.

Banner divulgando o menu de um restaurante em soft opening (provavelmente com opções reduzidas).
Banner divulgando o menu de um restaurante em soft opening (provavelmente com opções reduzidas).

Complementa o Infood: “Estamos deixando de ver com frequência aquelas inaugurações em eventos glamorosos e festas badaladas, a não ser em casos muito especiais.

Até mesmo os grandes chefs têm preferido abrir os seus novos restaurantes em soft opening, pois assim conseguem uma interação maior com o seu público e têm a liberdade de experimentar seus novos pratos sem criar expectativas e muito menos frustrações.

O soft opening é uma forma simples, porém muito eficiente, de colocar um restaurante para funcionar. Resume-se simplesmente em abrir as portas após uma divulgação tímida de que, a partir daquela data, a casa estará aberta e servindo.

Um método inteligente, que proporciona ao chef e aos colaboradores experimentar cardápios, receitas inovadoras, promoções de produtos e serviços diferenciados com o comprometimento do público através de pesquisas junto aos clientes durante a sua estada na casa.”

Divulgação da abertura de um café em soft opening.
Divulgação da abertura de um café em soft opening.

Portanto, a adoção de inauguração/lançamento de novos produtos e/ou serviços dessa forma traz para todos os envolvidos a oportunidade de aprendizado, melhora contínua e desenvolvimento mútuo ao longo do processo.

Será que vem novidade por aí? 😉

FONTES:

http://classificados.folha.uol.com.br/negocios/2012/10/1171972-conheca-pros-e-contras-de-abrir-seu-restaurante-com-um-soft-opening.shtml

http://infood.com.br/soft-opening-uma-das-melhores-estrategias-para-restaurantes/

Um Agridoce Café

A gente já tinha recebido essa dica várias vezes e por vários meios, então, há algumas semanas, resolvemos visitar e provar as opções veganas do Agridoce Café, “um espaço aconchegante e gentil para todos, com aroma de café e de doces saindo do forno”, de acordo com a própria página do estabelecimento. Então, aproveitamos um final de tarde quase noite e rumamos à Cidade Baixa.

Balcão de atendimento do Agridoce.
Balcão de atendimento do Agridoce.

Ao chegarmos lá, fomos recepcionados por um atendente que nos informou que a casa estava lotada, dizendo que haviam duas mesas a nossa frente na fila. Resolvemos aguardar mesmo assim. O atendente então pediu o nosso nome e telefone. Para nossa surpresa, segundos depois de ele nos deixar recebemos um SMS informando nossa posição na lista de espera para uma mesa, muito legal!

Decoração da parede da nossa mesa.
Decoração da parede da nossa mesa.

Como estávamos entre duas pessoas apenas, rapidamente conseguimos uma mesa em um dos salões fortemente decorados do café. Logo o mesmo atendente nos trouxe o cardápio que passamos a analisar. Após termos um pouco de dificuldade em encontrar as opções veganas, solicitamos ajuda ao atendente que prontamente nos informou que havia um sanduíche vegano, feito de pão artesanal de moranga com sementes de girassol, pasta de grão de bico, tomates secos, caponata e folhas verdes. Obviamente essa foi nossa escolha.

A comanda do Agridoce.
A comanda do Agridoce.

Nosso pedido não demorou muito a chegar, mesmo com o local lotado. O sanduíche estava bem gostoso, o pão bem novinho, o recheio molhado. Para o nosso gosto, a pasta de grão de bico poderia estar um pouco mais temperada, mas entendemos que é difícil agradar todos os gostos quando se atende tanta gente assim. Nada que não pudesse ser corrigido com um pouco de azeite de oliva.

Pra variar a gente comeu antes de tirar a foto :D
Pra variar a gente comeu antes de tirar a foto :D

Depois de terminar de comer o sanduíche, novamente analisamos o cardápio, pois queríamos um doce para acompanhar o espresso que iríamos pedir. Após uma pequena confusão com o atendente sobre se uma opção seria ou não vegana, obtivemos a informação de que a única possibilidade para nós seria o brownie de banana, que, então, pedimos. Estava gostoso, mas achamos que brownie de banana é uma das sobremesas veganas mais comuns de ser encontrada.

Pra variar a gente comeu antes de tirar a foto :D (2)
Pra variar a gente comeu antes de tirar a foto 😀 (2)

Entendemos que o Agridoce Café oferece opções veganas bem gostosas, inclusive de sobremesa, mas apenas uma doce e uma salgada. Seria interessante aumentar e diversificar as opções para poder voltar mais frequentemente ao estabelecimento.

img_4516

Alguns ambientes do café.
Alguns ambientes do café.

Nota: ***

Fica aí a dica do Veganista!
Quer sugerir um lugar pra gente visitar? Envie um e-mail para falecom@veganista.online 😉